top of page
Buscar
  • Foto do escritorSilvio Carneiro

Coletivo Juremas passa a integrar rede da PBL



A Periferia Brasileira de Letras (PBL) é uma rede composta por coletivos literários que atuam em territórios de alta vulnerabilidade social, com presença nacional. A PBL busca a territorialização de políticas públicas e a produção de conhecimento sobre literatura em favelas e periferias brasileiras através de pesquisas, seminários e publicações. A rede inclui rodas de slam, bibliotecas comunitárias, editoras independentes, saraus poéticos, residências literárias, rodas de leitura, teatro de rua e festivais literários. Essas diversas formas de organização e mobilização com a palavra poética convergem para o mesmo objetivo político: a ampliação da democracia dentro das favelas, vilas, comunidades e quebradas brasileiras. Essa abordagem também dialoga com a proposição de Antônio Cândido, que defende a literatura como um direito humano.


Dois conceitos são centrais para a atuação da PBL: a Promoção da Saúde e a Promoção da Literatura. No contexto da Promoção da Saúde, a Cooperação Social da Fiocruz identificou que as experiências culturais, especialmente as literárias, vão além do diagnóstico sobre iniquidades sociais, revelando modelos inovadores de formação crítica e cidadã nas favelas brasileiras. Essa é a intersetorialidade, uma abordagem que articula diferentes setores da sociedade para tratar problemas de forma conjunta e integrada.


Já a Promoção da Literatura se materializa no reconhecimento de que a criação literária é um fenômeno estimulador de identidades culturais. Em um mundo desigual, uma obra literária pode provocar perspectivas insurgentes sobre o status quo e fomentar novas ideias, forjando pertencimentos sociais. Mediadores de leitura, produtores culturais, poetas e escritores têm utilizado a força da palavra poética para mobilizar moradores das periferias, combinando o direito ao deleite estético com atos de resistência cultural. Nessa definição, encontram-se os coletivos literários da rede PBL e grande parte de sua luta política.


Neste contexto, a PBL, em parceria com a coordenação da Fiocruz, concluiu recentemente um rigoroso e inspirador processo seletivo para coletivos literários da Região Norte do Brasil. O objetivo foi reconhecer e fortalecer a rica diversidade literária das periferias da região. Este processo culminou em um resultado notável: um empate na pontuação de primeiro lugar entre dois coletivos, destacando-se o Coletivo Juremas, de Macapá (AP).


O Coletivo Juremas, conhecido por suas iniciativas impactantes na promoção da literatura e da cidadania em Macapá, será um valioso membro da rede PBL. Sua inclusão reflete a qualidade e a importância de seu trabalho, contribuindo para o fortalecimento da diversidade literária e cultural nas periferias brasileiras. A presença do Coletivo Juremas na PBL promete enriquecer significativamente as atividades e os objetivos da rede, promovendo um intercâmbio cultural e literário mais robusto e diversificado.


A coordenação da PBL decidiu convidar ambos os coletivos literários que empataram em primeiro lugar para integrar a rede, reconhecendo a qualidade e o impacto das suas iniciativas. Além do Coletivo Juremas, o Coletivo Escambo Literário, de Belém (PA), também foi selecionado.

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page